#Repost @appsindicato
• • • • • •
Diante de uma conjuntura de perdas e retrocessos, a categoria dos(as) educadores(as) do estado e das redes municipais do Paraná decidiu que não se furtará da luta no período eleitoral.

Com os votos de 97% dos(as) trabalhadores(as) presentes, a Assembleia deste sábado (20) aprovou uma Moção de Apoio às candidaturas de Requião e Lula no pleito de 2022.

O texto analisa o cenário dos últimos quatro anos e responsabiliza os governos de Bolsonaro e Ratinho Jr por uma política sistemática de perdas de direitos, o desastre sanitário no combate à Covid-19, o desmonte de políticas públicas e ataques à ciência e à educação.

Esta é uma definição dos(as) trabalhadores(as). Institucionalmente, a APP-Sindicato não pode tomar posição no processo eleitoral.

“Nos últimos oito anos, todas as vezes que a APP convocou a categoria para a luta, foi para resistir. Foi para não perder direitos. Essa não é a vida que nós queremos. Nós queremos avançar em direitos, ter uma carreira digna e tranquilidade para trabalhar e educar”, disse a presidenta da APP, Walkiria Mazeto, ao comentar o posicionamento da categoria.

“Brigar nós vamos brigar com qualquer governo, porque o orçamento público está sempre em disputa. Mas há governos e governos. E o atual, de Ratinho Jr., destruiu a nossa carreira”, complementa a presidenta.

Além da moção de apoio, a categoria deliberou por paralisação e ato estadual no dia 30 de Agosto e um calendário de mobilizações até outubro.

Confira a íntegra da moção e demais deliberações na matéria. Link nos stories. (em Wenceslau Braz, Parana, Brazil)
https://www.instagram.com/p/ChfcJvGOkbX/?igshid=NGJjMDIxMWI=

Share